Falando sobre amor, paixão, encontros e desencontros…

Posts marcados ‘saudade’

O que sinto por você

Como explicar o que sinto por você?

Talvez, eu não consiga traduzir fielmente em palavras meu sentimento por ti

Tanto sentimento e tanta coisa aconteceu

Nesse tão pouco tempo de convivência

Ao mesmo tempo em que, ainda falta tanta coisa para acontecer…

Você é a realização de um sonho

Você é a materialização de uma busca minha

Mas…

Às vezes, torna-se difícil e complicado de administrar esse sentimento

Temos condições de vida limitadas

Você sabe do que estou falando

Medo, angústia, ausência, saudade, ansiedade…

Incertezas que de vez em quando, tomam o lugar do meu amor

Da minha dedicação e do meu desejo por ti

Incertezas, que muitas das vezes, parecem certezas

Que um dia…

Você deixará de ser real e voltará a ser um sonho

Tudo tão simples e tão complicado

Aprendi que aconteça o que acontecer…

Aprendi que, aconteça o que acontecer, pode até parecer ruim hoje, mas a vida continua e amanhã melhora.

Aprendi que, dá para descobrir muita coisa a respeito de uma pessoa, simplesmente observando-a.

Aprendi que, independentemente da relação que você tenha com seus pais, ou qualquer outra pessoa, você vai ter saudade deles quando se forem.

Aprendi que, ganhar a vida não é o mesmo que ter uma vida.

Aprendi que a vida, às vezes, nos oferece uma segunda oportunidade.

E às vezes… Não

Aprendi que, a gente não deve viver tentando agarrar tudo pela vida afora

Tem que saber abrir mão de algumas coisas.

Aprendi que, quando decido alguma coisa com o coração, em geral, vem a ser a decisão correta.

E quando descubro que a decisão não foi a mais correta…

Aprendi a ter humildade para aceitar e aprender com os meus erros.

Aprendi que, sempre devemos estender a mão para alguém.

Aprendi que, as pessoas esquecem o que você diz, esquecem o que você faz, mas não esquecem como você faz com que elas se sintam.

 

Enfim…

Aprendi que, ainda tenho muito que aprender.

 

 

 

 

 

 

 

*Gostei deste texto navegando pela internet, mas desconheço seu autor.

Dei uma ligeira modificada nele e resolvi publicar.

 

Amor, estranho amor

O que dizer desse amor

Estranho amor

Amor incompleto

Cada um na sua casa

Cada um com a sua vida

Reservamos alguns momentos para ficarmos juntos

Reservamos algumas horas para nos falar

Alguns… Algumas…

Como seguir em frente sem se machucar?

Como não magoar a outra pessoa?

Como fazer de conta que isso tudo é muito normal?

Bate insegurança, medo, dúvida, saudade

O que fazer para não cobrar demais?

Não sei…

Oras parece que está tudo bem e oras não

Às vezes sinto-me amada e desejada e às vezes não

Às vezes tudo parece se explicar e às vezes, não tem explicação

Desejo, amor, tesão…

Vontade e muita saudade.

Que sentimentro é esse?

Que sentimento é esse que me invade?

Que sentimento é esse que toma conta de mim?

Manda em meus pensamentos

Manda nas minhas vontades

Aperta o meu peito

Levita a minha alma

Segura as minhas mãos

Que sentimento é esse que vicia?

Quanto mais eu falo contigo

Mais me dá vontade de falar

Quanto mais ficamos juntos

Mais dá vontade de ficar

E se percebo a sua ausência

Logo uma saudade louca me invade

Uma vontade toma conta de mim

Vontade de você

Dia após dia

Esse sentimento cresce e vicia

Me entorpece e me enlouquece

 

Hoje

Hoje me deu vontade de escrever

Escrever não sei o quê

Mas, pra você

Hoje me deu vontade de te abraçar

De me perder em teus braços

De me envolver em abraços

Hoje me deu uma grande saudade

Uma enorme vontade

De me fundir em você

Hoje me deu um imenso desejo

De te amar

De me soltar

Hoje eu queria você

Queria viver somente com você

Pra você…

 

* por Lucas Salles

Os dois pensamentos

Dois horizonte fecham nossa vida:

Um horizonte, – a saudade
Do que não há de voltar;
Outro horizonte, – a esperança
Dos tempos que hão de chegar;
No presente, – sempre escuro, –
Vive a alma ambiciosa
Na ilusão voluptuosa
Do passado e do futuro.

Os doces brincos da infância
Sob as asas maternais,
O vôo das andorinhas,
A onda viva e os rosais.
O gozo do amor, sonhado
Num olhar profundo e ardente,
Tal é na hora presente
O horizonte do passado.

Ou ambição de grandeza
Que no espírito calou,
Desejo de amor sincero
Que o coração não gozou;
Ou um viver calmo e puro
À alma convalescente,
Tal é na hora presente
O horizonte do futuro.

No breve correr dos dias
Sob o azul do céu, – tais são
Limites no mar da vida:
Saudade ou aspiração;
Ao nosso espírito ardente,
Na avidez do bem sonhado,
Nunca o presente é passado,
Nunca o futuro é presente.

Que cismas, homem? – Perdido
No mar das recordações,
Escuto um eco sentido
Das passadas ilusões.
Que buscas, homem? – Procuro,
Através da imensidade,
Ler a doce realidade
Das ilusões do futuro.

Dois horizontes fecham nossa vida.

* por Machado de Assis

 

Onde anda você?

images00

E por falar em saudade, onde anda você?
Onde andam seus olhos que a gente não vê?
Onde anda esse corpo que me deixou morto de tanto prazer?
E por falar em beleza onde anda a canção?
Que se ouvia nas noites dos bares de então.
Onde a gente ficava, onde a gente se amava em total solidão.
Hoje eu saio na noite vazia, numa boemia sem razão de ser.
Na rotina dos bares, que apesar dos pesares me trazem você.
E por falar em paixão, em razão de viver…
Você bem que podia me aparecer nestes mesmos lugares
Na noite, nos bares, onde anda você?

 

* por Vinícius de Moraes

Nuvem de tags